Por que você deve separar seus gastos pessoais dos gastos da empresa?

Muitos empresários não separam as contas pessoais das da empresa. Além de causar problemas com o Fisco, isso pode mascarar seus dados. Saiba mais!

17/04/2018 • Geral
 Tempo de leitura: 3 min

Uma boa parte dos empresários não separa os seus gastos pessoais dos gastos da empresa.

Isso é um grande erro. Além de ser uma infração da legislação, pode mascarar os dados, trazendo uma falsa informação sobre rendimento e faturamento.

Se você ainda tem dúvidas sobre a importância de separar suas finanças pessoais das empresariais, continue lendo!

Pessoa física x Pessoa jurídica

O primeiro passo é compreender qual a diferença entre uma pessoa física e uma pessoa jurídica.

Embora haja uma grande distinção entre as duas, suas definições são simples de serem entendidas.

A partir do momento em que nascemos, todos nós somos chamados de pessoa física. Todo cidadão é uma pessoa física e, no Brasil, é uma obrigação fazer o seu CPF (Cadastro da Pessoa Física) a partir dos 16 anos de idade.

É o número do CPF que identifica as pessoas físicas junto à Receita Federal quando se trata de tributos e movimentação financeira.

Ele é necessário, por exemplo, para abrir uma conta bancária e fazer empréstimos, além de ser obrigatório para fins de Imposto de Renda.

O CPF, a partir de 2018, também passou a ser exigido para dependentes a partir de 8 anos, mencionados na Declaração Anual.

Já a pessoa jurídica é aquela que foi criada: uma loja, um consultório, uma escola, enfim, qualquer empresa que foi montada pelo seu idealizador.

A pessoa jurídica também tem um cadastro junto à Receita Federal, que é o CNPJ, o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas.

É o CNPJ que identifica a empresa junto à Receita. Só por meio deste cadastro será permitido, por exemplo, emitir nota fiscal e fazer as declarações devidas. O CNPJ é o documento que confirma a legalidade de um negócio.

Por que separar contas pessoais da empresa?

Você pode ainda estar se perguntando porque não se deve misturar as finanças pessoais com as da empresa. Vamos explicar.

Além de ser obrigação fiscal, no momento que você paga suas contas pessoais com as finanças da empresa, você não conseguirá mais distinguir quais são os lucros e as despesas, mascarando seus resultados e trazendo dados furados na hora de avaliar seu negócio.

Além disso, quando acontece a mistura dos gastos pessoais com os da instituição, a contabilidade do seu negócio fica comprometida.

O gasto da pessoa física não deve fazer parte da movimentação contábil, uma vez que não é da empresa.

Por isso, opte por ter uma conta para pessoa física e outra para pessoa jurídica.

Com essa separação você terá muitos benefícios:

  • Melhor clareza nas entradas e saídas do caixa, o que permitirá uma visão real do andamento das suas finanças empresariais;
  • Tendo o conhecimento de todas as suas entradas e saídas detalhadamente, você poderá tomar ações mais inteligentes para começar a construir uma reserva de caixa, o que lhe dará uma maior segurança.
  • Se ao misturar suas contas pessoais com as da empresa você terá problemas de contabilidade, tendo uma conta jurídica se terá a certeza que seus relatórios contábeis estarão corretos: você não terá problema algum com o Fisco e terá sua contabilidade como aliada nas tomadas de decisões econômicas.

Como devo separar minhas finanças?

Fazer a separação e manter as contas pessoal e da empresa organizadas pode parecer uma tarefa difícil, mas tudo é questão de hábito, disciplina e organização.

O primeiro passo é você saber exatamente quanto entra e quanto sai mensalmente da sua empresa e aí determinar o seu pró-labore, o seu salário mensal.

Possivelmente, no começo do empreendimento, você não vai conseguir retirar o valor desejado. Mas, mesmo retirando aos poucos, estipule um valor que será seu, para uso pessoal.

Tenha uma conta corrente sua, de pessoa física, deposite seu pró-labore e utilize-o para suas despesas pessoais.

Vale lembrar: mesmo que você retire pequenas quantias durante o mês é essencial que essas sejam registradas em seu sistema de gestão ou planilha como pró-labore.

Por outro lado, tenha uma conta de pessoa jurídica para movimentação exclusiva da sua empresa e sempre que fizer depósitos ou pagamentos tenha tudo anotado nos seus registros, para os fechamentos contábeis.

Se você ainda tiver dúvidas, entre em contato conosco, podemos ajudar!

Velev Contabilidade
Escrito por:

Velev Contabilidade

Veja também

Contabilidade digital é confiável? Conheça as vantagens Contabilidade

Contabilidade digital é confiável? Conheça as vantagens

09/10/2019 • 2 min de leitura
Sou profissional liberal: preciso de uma contabilidade? Geral

Sou profissional liberal: preciso de uma contabilidade?

19/07/2018 • 1 min de leitura
Tabela IRPF 2017 Imposto de Renda

Tabela IRPF 2017

08/03/2017 • 0 min de leitura

Atuamos em diversos segmentos

Conheça a Velev descubra porque somos a melhor opção para o seu negócio: uma contabilidade digital, fácil e para você 😉

Conheça a Velev
Fale com a gente no Whatsapp