Tipos de investimento: uma introdução para iniciantes

Quer começar a investir, mas não sabe como dar o primeiro passo? Neste artigo, falamos sobre alguns dos principais tipos de investimento e como eles funcionam.

11/02/2021 • Economia
 Tempo de leitura: 4 min

Já foi o tempo em que investimentos eram um assunto reservado a grandes empresários com grandes volumes de capital. Hoje em dia, cada vez mais pessoas, de todas as classes sociais, procuram aprender um pouco sobre o tema, descobrindo novas formas de fazer suas economias renderem.

Parte disso é resultado da intensa transformação digital que estamos vivendo. Se antes o procedimento para investir era complicado e burocrático, hoje, ele pode ser feito por um aplicativo e em poucos passos.

Em outro artigo, nós falamos sobre hábitos financeiros saudáveis e mencionamos o quanto é importante entender de investimentos para encontrar uma aplicação que combina com seu perfil e objetivos.

Aqui, vamos desdobrar um pouco mais o assunto e listar alguns dos principais tipos de investimento e como eles funcionam.

1 – Tesouro Direto

Por ser tão seguro quanto, mas oferecer uma rentabilidade muito maior, o Tesouro Direto é considerado a nova poupança. Trata-se de um programa criado pelo Governo Federal que possibilita que pessoas físicas negociem títulos públicos.

Quando você investe no Tesouro Direto, é como se você estivesse emprestando dinheiro para o governo, que, após um período pré-determinado, irá devolver o valor com todos os juros aplicados.

Existem três tipos de título: Tesouro Selic, Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado. Nos dois últimos, o valor só pode ser resgatado depois de um período de tempo específico. Portanto, se você busca por tipos de investimento que podem ser sacados a qualquer momento, o ideal é optar pelo Tesouro Selic.

O Tesouro Direto é considerado um dos tipos de investimento mais seguros, justamente por conta do emissor: o Governo Federal. Ainda que a falência do governo seja praticamente impossível, a dívida representada pelo Tesouro Direto é tão pequena que a possibilidade de você perder o dinheiro investido é bastante improvável.

2 – CDB

O Certificado de Depósito Bancário, ou CDB, funciona de forma semelhante ao Tesouro Direto. A diferença é que, em vez do governo, os títulos são emitidos por bancos.

A lógica é a mesma: você empresta dinheiro para o banco por um determinado período e esse valor é devolvido com juros mais tarde.

Uma dúvida que muitas pessoas têm em relação ao CDB é sobre o que acontece com o dinheiro investido se o banco falir. A verdade é que todo CDB é assegurado pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos), mesmo órgão responsável por proteger a poupança.

Esse órgão garante que, caso aconteça qualquer coisa com o banco emissor, o dinheiro dos investidores será devolvido integralmente, juntamente com os juros, desde que não ultrapassem o valor de R$ 250.000 por CPF e instituição financeira.

3 – LCI e LCA

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos utilizados para captar recursos para os setores de agronegócio e imobiliário. Desta forma, ao investir em LCI ou LCA, você estará investindo diretamente em um desses setores.

Tratam-se de títulos emitidos por bancos e instituições financeiras e que também são protegidos pela FGC. Ou seja, são uma opção segura.

Tanto o Tesouro Direto quanto o CDB, LCI e LCA são tipos de investimento de renda fixa. Isso significa que eles possuem uma boa previsibilidade de retorno e, por isso mesmo, são considerados mais seguros e conservadores. A rentabilidade é mais baixa que um investimento mais arriscado, mas não há a possibilidade de perda.

A desvantagem da LCI e LCA é que seus títulos possuem prazos a partir de 180 dias e o investimento inicial costuma ser um pouco mais alto.

4 – Ações de empresas

Ações são como uma fração do valor de um negócio. Quando você compra ações de uma empresa, você se torna sócio dela.

Assim, você pode obter lucros com a valorização e venda das ações ou recebendo dividendos (nome que se dá ao lucro compartilhado entre os acionistas).

Hoje em dia, é possível comprar ações por aplicativos e sites de corretoras de investimento, mas é recomendado ter prudência. Ações são consideradas um investimento de renda variável. O que significa que não é possível prever se você obterá lucro ou prejuízo.

O mercado de ações é volátil e é praticamente impossível determinar se uma ação irá valorizar ou não. Por outro lado, justamente por ser arriscado, a rentabilidade pode ser bastante superior. É como diz a lei: quanto maior a chance de lucro, maior a chance de perda.

Especialistas recomendam estudar bem o mercado e monitorar suas oscilações, identificando oportunidades. Também é recomendável que o investidor tenha uma reserva de emergência equivalente a 6 meses de despesas, para que ele esteja preparado para imprevistos.

E então, já está pronto(a) para começar sua carreira de investidor(a)? As opções que listamos aqui são só o começo, ainda existem muitas outras, tanto para quem tem perfil conservador quanto para quem gosta de arriscar.

A dica final é continuar se informando e buscando novas formas de aplicar seu dinheiro, a fim de fazê-lo render mais.

Para mais artigos como este, continue acompanhando o blog da Velev: aqui você encontra os melhores conteúdos sobre contabilidade, marketing, empreendedorismo e novas ideias 😉

Velev Contabilidade
Escrito por:

Velev Contabilidade

Veja também

Contabilidade para médicos: como escolher a mais adequada? Contabilidade

Contabilidade para médicos: como escolher a mais adequada?

25/06/2020 • 2 min de leitura
4 desafios que toda empresa encara em seus primeiros anos Empresas

4 desafios que toda empresa encara em seus primeiros anos

19/02/2020 • 4 min de leitura
Dicas de produtividade para empreendedores Empresas

Dicas de produtividade para empreendedores

23/02/2021 • 3 min de leitura

Atuamos em diversos segmentos

Conheça a Velev descubra porque somos a melhor opção para o seu negócio: uma contabilidade digital, fácil e para você 😉

Conheça a Velev
Fale com a gente no Whatsapp